domingo, novembro 30, 2008


Como muita gente sabe...

Como muita gente sabe por vezes sou super distraído e perco tudo mais alguma coisa.

Mesmo há pouco tempo perdi os meus óculos de sol, objecto pelo qual tinha muita estima.

Mas agora falo de algo que perdi ultimamente (e vou perdendo a cada dia que passa). Falo-vos um uma caixa de musica que tinha… sim, daquelas que tem uma bailarina dentro e que dança ao som de um melodia que nos levita a alma ao ponto de quase tocar no Olimpo. Perdi mas não sei como, sempre a tive perto, sempre ouvi a sua música mesmo quando não estava presente mas agora instalou-se o silêncio com a sua ausência. Penso que a perdi num banco de jardim. Poderei reavê-la? Quero reavê-la? A vida continua, mais silenciosa, mais vazia, sem aquela imagem da bailarina a dançar de um modo celestial e clamoroso. A vida é isso mesmo, uma conjugação de infinitas e de indistintas ligações afectivas positivas e negativas em que a perda é o estado maior da dor. 

Mas só se dá o verdadeiro valor à nossa Alegria quando se perde algo… mesmo que essa perda seja aquilo que temos como senso comum, a nossa caixa de música.

 

2 comentários:

Piri disse...

Não perdeste a tua caixa de música... simplesmente não a ouves tanto, nem tão alto, nem em stereo... mas sim mais baixinho, com algum ruído, com muitas interferências!
Mas ela está contigo; está em ti! E vai ficar sempre a tocar na tua vida (mesmo que não a ouças)!
E a tua bailarina continuará a ser tua para sempre ;)

TFj disse...

Oiço a Bailarina gritar, oiço a sua voz ao longe... mt ao longe, um éco baixinho... Ela gostava que a encontrasses, mas não sabe onde está caída. Não foi num banco que a deixaste, foi pelo caminho... num buraco que não contornaste.
Mas são tantos os buracos dessa estrada, será que algum dia a vais voltar a encontrar... ou alguém passará e tapalos-á antes que voltes a passar pela mesma estrada!
Quando se quer mt algo que se ama tanto, vamos até ao fim do mundo... seja lá onde ele ficar!
Enquanto há fé , há esperança...
A melodia ainda toca...
Tudo depende da mão que lhe dá corda.
Um beijo